21 de ago de 2008

Polônia quer ser trampolim para as exportações brasileiras à Europa

QUEM DIRIA?
Governo polonês tem interesse em realizar parcerias, principalmente, com setores automotivos, máquinas e equipamentos, eletrônicos e aviação
Representantes do governo polonês disseram na segunda-feira (18), na Fiesp, que querem estreitar os laços comerciais com o Brasil e que seu país servirá como um trampolim para as exportações brasileiras, principalmente às nações do leste europeu. No ranking dos dez países prioritários para o governo polonês, o Brasil ocupa o nono lugar, atrás da China.
Com um crescimento médio do Produto Interno Bruto (PIB) de 4,7% ao ano nos últimos 15 anos, o dobro da média da Europa, e um crescimento econômico de 7%, a Polônia pretende aproveitar o rápido avanço econômico, além da posição geográfica estratégica e da recente entrada na União Européia, efetivada em 2004, para se consolidar como uma porta de entrada para investimentos e exportações na Europa.
“Temos muito interesse em realizar parcerias com setores automotivo, máquinas e equipamentos, eletrônicos e aviação”, informou a diretora do Departamento de Investimento Estrangeiro polonês, Iwona Chojnowska-Haponik. Atualmente, a Polônia conta com 25 aviões da Embraer usados pela linha aérea polonesa (PLL LOT).
Iwona acrescentou que os 80 bilhões de euros injetados na economia polonesa pela União Européia até 2013, o desenvolvimento global e o grande potencial em recursos humanos, são fatores que contribuem para a inserção de empresas brasileiras no país.
Fonte: Portal Fator Comun

Nenhum comentário: